segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

15 DE DEZEMBRO - ANDRÉ DA SILVA GOMES

EFEMÉRIDEAndré da Silva Gomes, compositor de música erudita luso-brasileiro, nasceu em Lisboa no dia 15 de Dezembro de 1752. Morreu em São Paulo, em 16 de Junho de 1844.
Pouco se sabe sobre a sua formação musical e cultural. Acredita-se que possa ter tido aulas ou, no mínimo, ter recebido influência de David Perez (1711/78), compositor napolitano de ascendência espanhola, Mestre da Real Capela Palatina de Palermo, que veio viver alguns anos em Portugal, como Mestre da Capela Imperial de Lisboa. Perez desenvolveu actividades pedagógicas de relevo em Portugal. A sua importância como professor de música é atestada pelo destaque que vieram a ter alguns dos seus discípulos. Influente compositor, David Perez dirigiu toda a vida musical da corte de D. José I até ao fim da sua vida, influenciando todos os compositores portugueses do seu tempo.
Não se sabe se André da Silva Gomes já se havia mudado para o Brasil ou se foi expressamente para lá, a fim de assumir – em 1774 – o cargo de Mestre de Capela da Igreja da Sé de São Paulo. Ele era tido como um homem dinâmico e um fértil criador, tendo reorganizado o Coro e começado a compor peças para os actos religiosos da época.
São Paulo, mesmo depois de elevada a cidade em 1711, era ainda muito pobre na segunda metade do século XVIII. Mesmo assim, era facto conhecido que Silva Gomes não se deixava abater pela falta de recursos, tendo fundado uma escola gratuita de música e organizado uma orquestra que contava com a participação de um bom organista – Inácio Xavier de Carvalho.
Não teve filhos do seu casamento, em 1775, com a viúva Maria Garcia de Jesus, mas criou uma enteada e adoptou dezasseis crianças, dando-lhes o apelido de família e ensinando-lhes não só as primeiras letras mas, evidentemente, também música.
Em 1789, André da Silva Gomes, tendo ingressado na carreira militar, dirigiu a corporação musical e alcançou a patente de tenente-coronel. Em 1797, foi contratado para o magistério, leccionando Gramática Latina. Com a chegada de D. Pedro a São Paulo em 1822, regeu – na catedral – o Te Deum de sua autoria, em homenagem ao futuro imperador. No dia 7 de Setembro foi proclamada a Independência. Na Casa da Ópera, seria André da Silva Gomes a encarregar-se das solenidades. Aposentou-se em 1828.
Da sua obra, chegaram até aos nossos dias cerca de 130 partituras, de acordo com informação do musicólogo Régis Duprat, que afirmou: «Os músicos da época colonial exerciam a profissão de forma mais avançada do que poderíamos imaginar. O “Tratado de Contraponto”, de André da Silva Gomes, revela regras do bem-compor que um bom músico europeu poderia seguir». Os documentos mais antigos das suas composições datam de 1774. Delas fazem parte antífonas, cânticos religiosos, hinos, ladainhas, missas, nocturnos, ofertórios, ofícios fúnebres, ofícios da Semana Santa, salmos etc..
A “Missa a Cinco Vozes”, datada do último quartel do século XVIII, pertence ao período de plena maturidade do autor. Dividida em onze segmentos, entre eles duas fugas, a peça situa-se num estilo intermédio entre o Barroco e o Classicismo.
Segundo especialistas, a obra-prima deste compositor luso-brasileiro é a “Missa em C” (“Missa em Dó”), que foi recentemente gravada em CD. O álbum apresenta 16 faixas com algumas das suas principais composições, além da própria missa. As músicas têm interpretação do Brasilessentia Grupo Vocal

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...