terça-feira, 2 de dezembro de 2014

2 DE DEZEMBRO - JOSÉ MARÍA ARGUEDAS

EFEMÉRIDEJosé María Arguedas Altamirano, escritor e etnólogo peruano, morreu em Lima no dia 2 de Dezembro de 1969. Nascera em Andahuaylas, em 18 de Janeiro de 1911. Além de romancista, destacou-se igualmente pelas traduções que fez da literatura quíchua e como estudioso do folclore e das tradições orais do seu país. É uma das maiores figuras da literatura latino-americana do século XX.
Quando da morte de sua mãe, ficou a residir com a avó paternal. Foi vítima de maus-tratos e era obrigado a dormir com os índios. Foi com eles que descobriu a cultura e a língua quíchua.
Estudou Letras e Etnologia na Universidade de San Marcos em Lima e militou ao lado dos republicanos espanhóis. Passou cerca de um ano na prisão por ter participado numa manifestação antifascista (1937/38).
Publicou a sua primeira obra, a série de contos “Agua”, em 1935. Outras das suas obras mais conhecidas são “Los ríos profundos” (1956), “Todas las sangres” (1964) e “El zorro de arriba y el zorro de abajo” de 1971.
Arguedas é o escritor dos encontros e desencontros de todas as raças e de todas as pátrias, mas não foi uma testemunha passiva, não se limitou a “fotografar” e a descrever o que via. Tomou partido. Na sua vida fez a opção de repelir a violência e pôr-se sempre ao lado dos oprimidos.
Foi também autor de numerosos poemas, escritos tanto em espanhol como em língua quíchua e publicados postumamente sob o título “Katatay y otros poemas” (1972).
Sofrendo de depressão nervosa, apesar de uma vida profissional e literária com grande sucesso, veio a suicidar-se com um tiro aos 58 anos de idade.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...