quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

17 DE DEZEMBRO - ERWIN PISCATOR

EFEMÉRIDEErwin Friedrich Maximilian Piscator, encenador, director e produtor teatral alemão, nasceu em Greifenstein no dia 17 de Dezembro de 1893. Morreu em Starnberg, em 30 de Março de 1966. Juntamente com Bertolt Brecht, foi um dos expoentes do teatro épico, um género que privilegia o contexto sociopolítico. Foi igualmente um dos mais importantes encenadores alemães do século XX. Judeu por nascimento, adoptou mais tarde o apelido “Piscator” (pescador, em latim) para fugir às perseguições nazis.
Começou por trabalhar, em 1919, num teatro experimental em Berlim, o Volksbühneem, do qual se tornaria director cinco anos mais tarde. Encenava as suas peças de acordo com as suas convicções sociopolíticas, para assim influenciar os espectadores e clarificar os ideais de esquerda.
Fez uma adaptação do drama romântico “The Robbers” de Friedrich Schiller, que originou uma grande polémica, pois Piscator cortou grande parte do texto e reinterpretou-o de acordo com as suas ideias.
Em 1927, fundou a influente, se bem que efémera, Piscator-Bühne – a sua própria companhia de teatro – em Nollendorfplatz, onde voltou a produzir peças polémicas com conteúdos sociopolíticos. Em 1928, produziu e fez uma notável encenação do romance checo “As aventuras do bravo soldado Schweik” de Jaroslav Hašek, com a colaboração do pintor expressionista George Grosz e de Bertolt Brecht.
Antes da ascensão de Hitler ao poder na Alemanha, Piscator dedicou uma parte da sua obra à situação política da União Soviética e, em 1931, foi para Moscovo trabalhar na Mezhrabpom, uma empresa cinematográfica soviética associada à organização Workers International Relief.
Com a subida de Hitler ao poder em 1933, a sua estadia na União Soviética deixou de ser por motivos profissionais para ser um exílio político. Em 1936, foi a Paris, onde se casou com a bailarina Maria Ley. Em 1939, o casal emigrou para os Estados Unidos.
Em Nova Iorque, tornou-se director do Dramatic Workshop, que ele fundou na New School for Social Research, em 1940. Alguns dos seus alunos foram Marlon Brando, Tony Curtis, Harry Belafonte e Tennessee Williams.
Em 1951, regressou à Alemanha e, em 1955, adaptou e encenou o romance “Guerra e Paz”. O espectáculo foi apresentado em cerca de vinte países. Em 1962, assumiu o cargo de director da Freie Volksbühne, em Berlim. Um ano depois, produziu a peça “The Deputy” de Rolf Hochhuth, sobre o Papa Pio XII e a sua alegada negligência no salvamento de judeus italianos das câmaras de gás nazis. Faleceu em 1966 com 72 anos de idade. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...