terça-feira, 29 de dezembro de 2015

29 DE DEZEMBRO - FREDDIE HUBBARD

EFEMÉRIDEFreddie Hubbard, de seu nome completo Frederick Dewayne Hubbard, trompetista e compositor de jazz norte-americano, morreu em Los Angeles no dia 29 de Dezembro de 2008. Nascera em Indianápolis, Indiana, em 7 de Abril de 1938. Graças a um som único e à sua arte de improvisar, contribuiu imenso para a expansão do jazz moderno e do bebop.
Começou a tocar trompete na Arsenal Technical High School em Indianápolis, prosseguindo os estudos musicais no Arthur Jordan Conservatory of Music. Chet Baker foi uma das suas primeiras influências, embora Hubbard tenha dado depois preferência a Clifford Brown, Fats Navarro e Dizzy Gillespie.
Dedicou-se mais seriamente ao jazz depois de se ter mudado para Nova Iorque, em 1958. Ali trabalhou com Sonny Rollins, Slide Hampton, J. J. Johnson, Bill Evans, Philly Joe Jones, Oliver Nelson e Quincy Jones, entre outros.
Enveredou pelo hard bop, no seio do grupo Art Blakey and the Jazz Messengers. Com este grupo, criou vários álbuns entre os quais “Mosaic”, “Buhaina's Delight” e “Free For All”. Desenvolveu seguidamente o seu próprio som, afastando-se da influência de Clifford Brown e obtendo o título de Nova Estrela, através do magazine de jazz “Downbeat”.
Em Junho de 1960, gravou o seu primeiro álbum, na qualidade de líder – “Open Sesame”, na companhia do saxofonista Tina Brooks, do pianista McCoy Tyner, do baixista Sam Jones e do baterista Clifford Jarvis.
Em Maio de 1961, gravou “ Olé Coltrane”, convidado por John Coltrane quando de uma sessão nos estúdios da Atlantic Records. Em Agosto, compôs um dos seus mais célebres títulos, “Ready For Freddie”, em colaboração com o saxofonista Wayne Shorter.
Nos anos 1960, gravou 36 álbuns que são hoje considerados verdadeiros clássicos. Lançou-se também no free jazz. Nos anos 1970, entrou no grupo V.S.O.P., que inovava num novo género de jazz : o free bop (mistura do bebop dos anos 1940, da sua evolução nos anos 1950 e do free jazz dos anos 1960). Freddie conheceu então alguns dos seus maiores sucessos.
A década de 1970 foi o ponto culminante da sua celebridade. Gravou o seu maior álbum, “California Concert”, e efectuou improvisações sensacionais e performances musicais excelentes. Foi considerado um dos grandes trompetistas do seu tempo.
Com vários problemas de saúde, interrompeu temporariamente a carreira de trompetista. Em 1992, fez um golpe profundo no lábio superior que se infectou. Nunca mais reencontrou o seu nível. Continuou a tocar e a gravar discos, mas só ocasionalmente.
Durante a sua carreira de quase 50 anos, recebeu – entre outros prémios – um Grammy para o Melhor Disco de Jazz (1972) e o Prémio dos Mestres do Jazz da Instituição Nacional das Artes, em 2006. Morreu numa clínica de Sherman Oaks, no noroeste de Los Angeles, um mês depois de ter sofrido um ataque cardíaco.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...