domingo, 12 de fevereiro de 2017

12 DE FEVEREIRO - JOAQUÍN SABINA

EFEMÉRIDEJoaquín Ramón Martínez Sabina, cantor, autor, compositor e poeta espanhol, nasceu em Úbeda, Jaén, na região andaluza em 12 de Fevereiro de 1949. Os seus trabalhos são reconhecidos e apreciados em todo o mundo de língua espanhola, especialmente na Argentina.
Filho de um polícia e de uma dona de casa, começou a escrever poemas aos catorze anos e a tocar canções com os amigos. Um pouco mais tarde, apaixonou-se por escritores como Marcel Proust e James Joyce. Criou um grupo musical com outros adolescentes – os Merry Youngs – que cantavam temas de Elvis Presley, Chuck Berry, etc.
Em 1968, foi estudar na Universidade de Granada, mas em breve deixou os estudos para um exílio em Londres. As razões precisas que levaram Sabina a esta decisão são objecto de polémica, mas sabe-se que ele chegou a quebrar a montra de um banco, no furor do movimento estudantil espanhol contra o regime do general Franco.
Em Londres, Sabina organizava sessões de cinema com filmes proibidos na Espanha franquista, além de participar em montagens teatrais de esquerda, especialmente com obras de Bertolt Brecht. Nessa época, também amadureceu como artista musical, pois – para sobreviver – via-se obrigado a tocar canções espanholas e latinas tradicionais nos restaurantes e bares dos arredores de Portobello Road, um reduto hispânico tradicional, na capital britânica.
Em 1977, com a morte de Franco, Sabina voltou a Espanha e casou-se com a argentina Lucia, dando início a uma movimentada vida amorosa. Em 1978, instalou-se em Madrid com a mulher e lançou o seu primeiro disco de canções, “Inventario”.
Logo após o primeiro disco, Sabina afastou-se do estereótipo do “compositor engajado” e adoptou uma roupagem mais roqueira e mais contemporânea. Discos como “Malas compañías” e “Ruleta rusa” consagraram-no como um artista de sucesso, sobretudo em Espanha e na América hispânica.
Em 2001, sofreu um AVC que colocou a sua vida em perigo, mas recuperou em poucas semanas, sem ficar com sequelas físicas. O incidente influiu, no entanto, na sua forma de pensar e viu-se imerso numa forte depressão, que o levou a abandonar os palcos durante algum tempo. Depois da crise ultrapassada, publicou o seu décimo oitavo álbum – “Alivio de luto” (2005). Em Novembro de 2009, publicou “Vinagre y rosas”.
Em 2005, foi condecorado com a Medalha de Ouro de Mérito das Belas Artes pelo Ministério da Educação, da Cultura e dos Desportos de Espanha.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...