terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

28 DE FEVEREIRO - YAŞAR KEMAL

EFEMÉRIDEYaşar Kemal, de seu verdadeiro nome Kemal Sadık Gökçeli, escritor e jornalista turco de origem curda, morreu em Istambul no dia 28 de Fevereiro de 2015. Nascera em Osmaniye, em 6 de Outubro de 1923. Foi candidato ao Prémio Nobel de Literatura (1072).
Kemal era oriundo de uma família pobre. Teve uma infância difícil, tendo perdido um olho acidentalmente quando o pai esquartejava uma ovelha e, aos cinco anos, assistiu ao assassinato do progenitor perpetrado por um filho adoptivo. Esta experiência traumatizante provocou-lhe dificuldades na fala, que subsistiram até aos doze anos. Iniciou a escolaridade aos nove. Continuou depois com os estudos secundários, trabalhando simultaneamente como operário. Deixou os estudos formais, quando frequentava o 3º ano.
Foi depois contramestre, guarda campestre, escrivão público e bibliotecário. Poemas seus começaram a ser publicados em diversas revistas, como a “Ülke”, a “Kovan”, a “Millet” e a “Beşpinar”.
Em 1943, começou a escrever sobre assuntos da contemporaneidade, como a Segunda Guerra Mundial e o folclore da Europa Oriental. O seu primeiro livro foi “Ağıtlar”, no qual compilou lendas e personagens folclóricos. Mais tarde, lançaria várias obras de grande repercussão no Modernismo do seu país e conquistou importantes prémios e galardões literários.
Passou um ano na prisão em 1950 por «propaganda comunista». Instalou-se em Istambul no ano seguinte. Fez reportagens para o diário “Cumhuriyet”. Obteve o Prémio Especial da Associação de Jornalistas pela sua reportagem “Sete dias na maior quinta do mundo”. A polícia turca teria apreendido as suas duas primeiras novelas.
Ainda em 1951, quando estava de visita à ilha de Akdamar, assistiu à destruição da igreja de Santa Cruz de Aghtamar. Graças à sua notoriedade, ajudou a parar com a destruição. A igreja ficou assim até 2005, ano em que o governo turco de então começou a restaurá-la.
Em 1955, o seu primeiro romance (“Mèmed”) teve grande sucesso, sucesso que foi aumentando de tal modo que o candidatou ao Nobel de 1972. Traduzido em mais de quarenta línguas, transformou Kemal numa figura marcante da literatura mundial. Recebeu a Legião de Honra Francesa em 1984 (comendador) e 2011 (oficial).
A sua militância contra a brutalidade do poder turco para com a minoria curda valeu-lhe vários processos judiciais. Em 1996, foi mesmo condenado a vinte meses de prisão por um artigo publicado em 1995, em que denunciava o modo como o Estado turco tratava a questão curda.
O ministério da Cultura Arménio concedeu-lhe – em 2013 – a Medalha Krikor Narégatsi pelo seu respeito pela cultura e pela identidade arménia. Yaşar Kemal foi, ao longo da sua carreira literária, doutorado honoris causa por seis universidades.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...