quinta-feira, 27 de outubro de 2011




EFEMÉRIDEDylan Marlais Thomas, escritor galês, um dos mais brilhantes poetas da língua inglesa no século XX, nasceu em Swansea no dia 27 de Outubro de 1914. Morreu em Nova Iorque, em 9 de Novembro de 1953.


O pai era diplomado em Literatura Inglesa, costumando recitar-lhe Shakespeare antes de ele saber ler. Apesar dos pais falarem galês, tanto Dylan como a irmã nunca aprenderam a língua materna e Dylan escreveu exclusivamente em inglês, sob influência do pai.


Passou a maior parte da infância em Swansea, exceptuando algumas temporadas na quinta de Carmathen, propriedade da família da mãe. Estas estadias no meio rural, muito diferente do meio urbano, acabaram por influenciar a sua obra. Nota-se o facto em numerosas histórias, em obras radiofónicas e também em alguns poemas.


Frequentou a Swansea Grammar School, onde o pai leccionava. Publicou o seu primeiro poema numa revista da escola. Fascinado pela língua, destacava-se em Inglês e Literatura, negligenciando as outras disciplinas. Deixou de estudar aos dezassete anos, para se tornar repórter júnior no “Daily Post”.


Em Dezembro de 1932, deixou o trabalho e decidiu dedicar-se integralmente à poesia. Foi durante esta época que escreveu mais de metade dos seus poemas.


Em 1934, quando tinha vinte anos, mudou-se para Londres, onde ganhou o prémio Poet's Corner e publicou o seu primeiro livro, “18 Poemas”, que teve grande êxito. Durante este período de sucesso, começou a abusar do álcool, facto de que se vangloriava.


Ao contrário dos seus contemporâneos, T. S. Eliot e W. H. Auden, Thomas não estava preocupado com a utilização de temas sociais e políticos. A sua escrita, com um lirismo intenso e carregada de emoção, tinha mais a ver com a tradição romântica. Os seus poemas demonstravam influências célticas, bíblicas e do surrealismo inglês.


Considerado muito fraco fisicamente, não pôde participar na Segunda Guerra Mundial. Colaborou no entanto na elaboração de obras de propaganda a favor do governo.


Aos 35 anos, em 1950, visitou os Estados Unidos pela primeira vez. Teatral, romântico e dado a bebedeiras homéricas, tornou-se uma figura lendária nos EUA, o que contribuiu para a sua divulgação mundial. Thomas era um ídolo para a geração de poetas denominada Geração Beat. Arrebatava plateias com a sua voz grave, ao ler poesias em teatros e universidades. A sua influência espraiou-se até à música pop.


Morreu de complicações causadas pelo alcoolismo, tinha apenas 39 anos de idade. Consta que no dia da sua morte teria ingerido 18 whiskies.


O cantor Bob Dylan, de seu verdadeiro nome Robert Allen Zimmerman, admitiu numa biografia sua que se tinha inspirado em Dylan Thomas para o seu nome artístico. Uma certa forma também de o homenagear.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...