quarta-feira, 19 de outubro de 2011




EFEMÉRIDEJohn “Jack” Silas Reed, jornalista, escritor e activista político norte-americano, famoso pelo seu livro “Dez dias que abalaram o Mundo”, em que relatou em primeira-mão os acontecimentos que constituíram a Revolução de Outubro na Rússia, morreu em Moscovo no dia 19 de Outubro de 1920. Nascera em Portland, em 22 de Outubro de 1887.


Estudou na Universidade de Harvard. Publicou os seus primeiros textos no “Harvard Lampoon”, um periódico humorístico e sarcástico fundado por estudantes, e participou activamente na vida social universitária. Após obter a licenciatura em 1910, embarcou num navio de carga para a Europa, tendo passado por Londres, Paris e Madrid. No ano seguinte, fixou-se em Nova Iorque, onde trabalhou como editor numa revista política. Fez a cobertura de várias greves importantes.


Em 1914, no México, Pancho Villa liderava uma rebelião de camponeses quando Reed foi enviado como correspondente. Em pouco tempo, tornou-se próximo do líder revolucionário. Os relatos apaixonados de Reed não eram aquilo a que se poderia chamar jornalismo objectivo e imparcial, mas ajudaram a espalhar notícias sobre a revolução.


Foi depois cobrir a Primeira Guerra Mundial. Interessou-se pela Revolução Bolchevique e partiu em Setembro de 1917 para a Rússia. Conheceu Lenine e, das conversas com ele, nasceu a sua obra mais famosa.


Tinha acabado de regressar aos Estados Unidos, reconhecido como grande jornalista, quando se deu o Massacre de Ludlow no Colorado, em que mineiros em greve foram abatidos pela Guarda Nacional a mando da família Rockefeller. Estes acontecimentos foram registados no seu livro “A Guerra do Colorado”.


John Reed era uma figura importante no Partido Socialista americano, vindo a ser determinante na fundação do Partido Comunista dos Trabalhadores.


Voltou à Rússia em 1920, como delegado ao II Congresso da International Comunista. Conversou com membros do partido, correu de reunião em reunião e deu uma conferência em Moscovo. Bastante cansado, ficou doente, febril e delirante. Era a febre tifóide que o tinha atingido. Morreu num hospital moscovita.


O seu corpo foi sepultado perto do Kremlin, na Praça Vermelha, com honras de herói, sendo o único americano a quem tal honra foi concedida.


O filme “Reds” (1981), com Warren Beatty, Diane Keaton e Jack Nicholson, baseado na sua vida, foi nomeado para doze Oscars tendo ganho três.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...