sexta-feira, 21 de outubro de 2011




EFEMÉRIDEJosé Maria Carvalho Pedroto, treinador e ex-jogador de futebol português, nasceu em Almacave, Lamego, no dia 21 de Outubro de 1928. Morreu em 7 de Janeiro de 1985.


Jogou nos infantis do Futebol Clube do Porto e nos juniores do Leixões. Pedroto compensava a falta de físico com um enorme talento. O serviço militar levou-o ao Lusitano de Vila Real de Santo António, onde começou a despertar o interesse dos grandes clubes.


Em 1950 transferiu-se para o Belenenses. Pedroto cedo se afirmou como um dos melhores médios do futebol português. Em 1951 estreou-se pela Selecção Nacional. No ano seguinte, a sua mudança para o Porto envolveu uma verba astronómica para a época. O Porto estava a construir uma equipa que viria a quebrar um jejum de muitos anos. Em 1956, treinada por Dorival Yustrich, os portistas conquistaram o Campeonato e a Taça de Portugal. Pedroto foi uma das principais figuras da equipa. Em 1959 foi novamente Campeão Nacional.


Em 1960 tornou-se o primeiro treinador português com um curso superior. Tinha excelentes capacidades técnicas, associadas a um discurso agressivo. Continuou a evidenciar-se nos “estudos”, obtendo uma brilhante classificação num curso de treinadores realizado em França. Este resultado, aliado ao bom trabalho nas camadas jovens do Porto, levaram-no a treinador da Selecção Nacional de Juniores. Sob a sua orientação, Portugal conquistou o seu primeiro título Europeu.


Pedroto abandonou o futebol juvenil do Porto, para ir treinar a equipa principal da Académica. Forjou grandes talentos, sendo reconhecida por todos a qualidade futebolística da equipa de Coimbra. Treinou depois o Leixões, onde foi vítima da única chicotada psicológica da sua carreira, traído pela falta de condições oferecidas pelo clube. Treinou seguidamente o Varzim, que estava pela segunda vez na primeira divisão e que viria a ser a sensação desse campeonato.


Em 1966 realizou o seu grande sonho, ao tornar-se treinador principal do F. C. do Porto. Ficou até 1969, vencendo uma Taça de Portugal. Rumou a Setúbal e o Vitória obteve alguns dos melhores resultados da sua história, sendo uma vez Vice-campeão, uma vez finalista da Taça e fazendo excelentes prestações nas competições europeias.


Em 1974, mudou-se para o Boavista onde, em dois anos, obteve um 2º lugar no Campeonato e venceu duas Taças de Portugal.


Voltou ao Porto em 1976, para vencer dois Campeonatos (1977-78 e 1978-79) e uma Taça de Portugal. Falhou o “tri” e saiu, passando a treinar o Vitória de Guimarães, onde esteve duas épocas, obtendo um 4º e um 5º lugar.


Regressou ao Porto, já com Pinto da Costa como presidente. Venceu uma Taça de Portugal e foi finalista da Taça das Taças. Pedroto e Pinto da Costa criaram as bases para a série de êxitos que se seguiram e que culminaram com a vitória na Taça dos Campeões Europeus.


José Maria Pedroto morreu aos 56 anos de idade, sucumbindo a um cancro nos intestinos que o corroía imparavelmente. Durante a madrugada do dia do seu falecimento, já visivelmente debilitado, tentou satisfazer os seus últimos desejos, bebendo whisky por uma colher e tentando fumar o último cigarro.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...