quinta-feira, 29 de dezembro de 2011




EFEMÉRIDERainer Maria Rilke (de seu nome original René Karl Wilhelm Johann Josef Maria Rilke), poeta austríaco e um dos mais importantes da língua alemã no século XX, morreu em Valmont, na Suíça, no dia 29 de Dezembro de 1926. Nascera em Praga, então pertencente ao Império Austro-Húngaro, em 4 de Dezembro de 1875. Escreveu também poemas em francês.


A família idealizara para ele uma carreira militar, chegando a estar num pensionato para esse fim, mas foi recusado por inaptidão física. Estudou nas Universidades de Praga, Munique e Berlim. Em 1894 fez a sua primeira publicação, uma recolha de versos de amor, intitulada “Vida e Canções”. Não exerceu nenhuma profissão, tendo vivido sempre com o apoio de amigas nobres, muitas das vezes suas amantes.


Em 1899 viajou para a Rússia a convite de Lou Andreas-Salomé, escritora e psicanalista, filha de um general russo, que conhecera em Munique em 1897 e que foi sua amante durante longos anos. Este amor inflamado foi-se transformando progressivamente numa amizade recíproca e numa admiração mútua que se manteria até ao fim das suas vidas. A sua estadia na Rússia imprimiu uma inspiração religiosa aos seus poemas. Passou a ver a natureza, dadas as dimensões e a exuberância das paisagens russas, como uma manifestação divina, presente em todas as coisas. Sobre este tema escreveu, em 1900, “Histórias do Bom Deus”.


Em 1901 casou com Clara Westhoff, da qual se separou um ano mais tarde. Em 1902 foi para Paris, onde foi secretário do escultor Auguste Rodin, entre 1905 e 1906. Rodin exerceu grande influência sobre os poemas de Rilke, que se reflectiu nas suas publicações de 1907 e 1908.


O século XX trouxe para a poesia de Rilke um afastamento do lirismo e dos simbolistas franceses com os quais se identificara. Em 1905, publicara “O Livro das Horas”, com grande repercussão na época. Nesta obra, a sua poesia já apresentava um estilo concreto, bem característico desta sua nova fase.


Quando começou a Primeira Guerra Mundial, em 1914, Rilke morava em Munique e lá permaneceu durante todo o conflito. Antes de se mudar para aquela cidade alemã, viveu na região de Trieste, publicou em 1913 “A vida de Maria“ e iniciou a redacção da sua obra-prima “Elegias de Duíno”, texto que só viria a ser publicado em 1923. Duíno era um castelo, então em território austríaco, nas margens do Adriático, onde Rilke residiu dois anos, a convite da princesa Maria von Thurn und Táxis, que se manteve como sua mecenas até 1920. Em 1921, Rilke mudou-se para a Suíça, onde viveu até à data da sua morte, vítima de leucemia.


A obra de Rainer Maria Rilke foi influenciada pelo Expressionismo e, por sua vez, influenciou muitos autores em diversas partes do mundo. Apesar de ser conhecido sobretudo como poeta, escreveu também ensaios, novelas, peças de teatro e um romance.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...