sábado, 11 de outubro de 2014

11 DE OUTUBRO - RENATO RUSSO

EFEMÉRIDERenato Russo, de seu verdadeiro nome Renato Manfredini Júnior, cantor e compositor brasileiro, célebre por ter sido vocalista e fundador da banda de rock Legião Urbana, morreu no Rio de Janeiro em 11 de Outubro de 1996. Nascera na mesma cidade em 27 de Março de 1960. Antes de fundar esta banda, integrou o grupo musical Aborto Eléctrico, do qual saiu devido às constantes brigas com o baterista Fê Lemos. Adoptou o sobrenome artístico Russo em homenagem ao inglês Bertrand Russell e aos franceses Jean-Jacques Rousseau e Henri Rousseau.
Morreu aos 36 anos de idade, devido a complicações causadas pela SIDA. Como integrante da Legião Urbana, lançou oito álbuns de estúdio, cinco álbuns ao vivo, alguns lançados postumamente, e diversos singles, escritos na sua maioria por ele próprio. Gravou ainda três discos a solo e cantou ao lado de Adriana Calcanhoto e Erasmo Carlos, entre outros.
Em Outubro de 2008, a revista “Rolling Stones” promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, em que Renato Russo ocupa o 25º lugar.
Renato era filho de um economista e de uma professora de inglês, primos em segundo grau. Era descendente de italianos e de nordestinos.
Até aos seis anos de idade, viveu no Rio de Janeiro, começando a estudar no Colégio Olavo Bilac, na Ilha do Governador. Em 1967, mudou-se com a família para Nova Iorque, pois o pai, funcionário do Banco do Brasil, fora transferido para a agência do banco naquela cidade. Em 1969, voltou para ao Brasil, indo morar na casa de um tio no Rio de Janeiro.
Em 1973, a família trocou o Rio de Janeiro por Brasília. Em 1975, aos quinze anos, Renato começou a atravessar uma das fases mais difíceis da sua vida, quando foi informado que era portador de epifisiólise, uma doença óssea. Ao saber do resultado, os médicos submeteram-no a uma cirurgia, para implante de próteses de platina na bacia. Renato sofreu muito durante a enfermidade, tendo que ficar seis meses na cama, quase sem movimentos, e permanecendo cerca de um ano e meio em recuperação. Durante o período de tratamento, dedicou-se quase exclusivamente a ouvir música, iniciando a sua extensa colecção de discos dos mais variados estilos. Simultaneamente à cura da doença, passou no vestibular para Jornalismo no Centro de Ensino Universitário de Brasília. Aos 18 anos, revelou à sua mãe que era homossexual.
Entre os anos de 1978 e 1981, foi professor de Língua e Literatura Inglesa. Era um professor muito procurado pelos pais dos alunos, que pediam que os seus filhos fossem matriculados nas suas aulas. Foi porém demitido, depois de alguns atritos com a direcção da escola. Trabalhou como repórter num programa de rádio que defendia os direitos dos consumidores, produzido pelo Ministério da Agricultura. Trabalhou também na apresentação de um programa de rádio sobre os Beatles, numa FM de Brasília (1983).
Depois de sair do grupo Aborto Eléctrico, passou a tocar violão e a cantar a solo, formando mais tarde a banda Legião Urbana. As suas principais influências eram as bandas de post punk que surgiram na época. Renato Russo espelhava nos seus trabalhos os estilos de Robert Smith, vocalista do The Cure, e de Morrissey, vocalista dos The Smiths.
À frente da Legião, atingiu o auge da sua carreira como músico, criando uma relação com os fãs que chegava a ser messiânica (alguns adoravam o cantor como se fosse um deus).
Renato Russo faleceu em Outubro de 1996. Deixou um filho, na época com apenas 7 anos de idade. O corpo de Russo foi cremado e as cinzas lançadas no Parque Burle Marx. Onze dias após a sua morte, Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá, ao lado do empresário Rafael Borges, anunciaram o fim das actividades do grupo Legião Urbana. Estima-se que a banda tenha vendido cerca de 20 milhões de discos durante a vida de Renato. Mais de uma década após a sua morte, o grupo ainda apresentava vendas expressivas dos seus discos.
O filme “Somos Tão Jovens” retrata a adolescência de Renato Russo e como ele se tornou um dos maiores cantores e poetas brasileiros.
Faroeste Caboclo” é uma canção que Renato Russo escreveu logo após o fim da banda Aborto Eléctrico, enquanto actuava a solo. Em 2013, a canção foi adaptado ao cinema, retratando a história de João de Santo Cristo, um homem negro que aprende a lutar sozinho contra o preconceito, a injustiça e pela própria vida.
Renato Russo publicou quatro livros e, após a sua morte, outros quatro livros foram lançados a título póstumo. Em Junho de 2009, foi publicada a biografia “Renato Russo: O filho da Revolução” da autoria do jornalista Carlos Marcelo Carvalho. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...