quarta-feira, 22 de outubro de 2014

22 DE OUTUBRO - ÈVE CURIE

EFEMÉRIDE – Denise-Ève Curie Labouisse, pianista, mulher de letras, jornalista, conferencista e diplomata francesa, morreu em Nova Iorque no dia 22 de Outubro de 2007. Nascera em Paris, em 6 de Dezembro de 1904. Era filha de Pierrre e Marie Curie, e irmã de Irène Joliot-Curie.
Estudou no Colégio Sévigné, onde obteve o bacharelato em 1925. Contrariamente aos pais e irmã, não quis seguir uma carreira científica. Encorajada pela mãe, preferiu os estudos literários e artísticos. Formada por Ignacy Paderewski, começou a carreira como pianista, apresentando-se ao público pela primeira vez em Paris (1925).
Em 1937, publicou a biografia de sua mãe (“Madame Curie”) falecida em Julho de 1934, vítima de leucemia. Esta obra seria adaptada ao cinema pela MGM em 1943. O pai falecera em Abril de 1906, atropelado por uma carroça. A irmã Irène morreu em Março de 1956, aos 58 anos, também vítima de leucemia.
No começo da Segunda Guerra Mundial e depois da ocupação alemã, refugiou-se em Inglaterra, onde se juntou ao movimento França Livre. Utilizou as suas palavras e a sua voz na imprensa, na rádio e em conferências.
Como retaliação, o regime de Vichy retirou-lhe a cidadania francesa em 1941, pelo que se mudou para os Estados Unidos. Em Novembro desse ano, foi contratada pelo “Herald Tribune Syndicate” de Nova Iorque e pelo “Allied Newspaper” de Londres como correspondente de guerra. Em Março de 1942, entrevistou Gandhi.
Em “Jornada entre guerreiros” (1943), outro dos seus livros, narrou a sua passagem por vários países, nas frentes de batalha da Segunda Guerra Mundial: Líbia, Rússia, Birmânia e China.
Regressada a Inglaterra, alistou-se no Corpo de Voluntárias da França Combatente e tornou-se condutora de ambulâncias na frente de Itália. Em 1943, o general Brosset integrou-a numa brigada, com o posto de tenente. Desembarcou com as tropas francesas na Provença em Agosto de 1944.
O general de Gaulle rendeu-lhe homenagem num discurso que pronunciou em Alger em Outubro de 1943. Em Novembro, escreveu-lhe: «Não esqueço quanto a sua atitude, desde o princípio, foi corajosa e felicito-a pelo que continua a fazer neste momento».
Em Novembro de 1944, Ève recebeu a Cruz de Guerra e fundou com Philippe Barrès o diário “Paris-Presse, que co-dirigiu até 1949. Foi também conselheira especial do Secretário-geral da NATO.
Em 1954, casou-se com Henry Richardson Labouisse, posteriormente embaixador dos Estados Unidos na Grécia (1965/79) e director executivo da UNICEF durante 15 anos. No desempenho das suas funções, viajaram por mais de uma centena de países.
Ève Curie foi administradora da Fundação Curie de 1957 a 1967, na qualidade de representante de Marie Curie, a sua fundadora. Foi distinguida com o oficialato da Legião de Honra durante uma cerimónia realizada na UNICEF, «homenageando a sua enorme contribuição para as causas humanitárias». Enviuvou em 1987, falecendo 20 anos depois com a idade de 102 anos.
Era doutora honoris causa do Mills College, do Russell Sage College e da Universidade de Rochester.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...