segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

5 DE DEZEMBRO - MARÍLIA PÊRA

EFEMÉRIDEMarília Pêra da Graça Mello, consagrada e premiada actriz, cantora e directora teatral brasileira, morreu no Rio de Janeiro em 5 de Dezembro de 2015. Nascera na mesma cidade em 22 de Janeiro de 1943. Conquistou ao longo da sua carreira cerca de 80 prémios, tendo protagonizado 49 peças, 29 telenovelas e 24 filmes.
Filha de actores, pisou o palco pela primeira vez aos quatro anos de idade, ao lado dos pais que integravam o elenco da companhia de Henriette Morineau.
Dos 14 aos 21 anos, actuou como bailarina e participou em comédias musicais e revistas, entre elas “Minha Querida Lady” (1962), protagonizado também por Bibi Ferreira. Segundo Marília, ela tinha sido aceite porque os directores estavam à procura de alguém que pudesse fazer acrobacias, o que era raro naquela época. Entrou em “O Teu Cabelo Não Nega” (1963), no papel de Carmen Miranda. Voltaria a viver o papel da famosa cantora no espectáculo “A Pequena Notável” (1966), dirigido por Ary Fontoura; no “Tribute to Carmen Miranda” no Lincoln Center, em Nova Iorque (1975); nas únicas apresentações de “A Pêra da Carmen” no Canecão em 1986 e 1995; e no musical “Marília Pêra canta Carmen Miranda” (2005).
As primeiras aparições na televisão foram em “Rosinha do Sobrado”, na Rede Globo em 1965 e, em seguida, em “A Moreninha”. Em 1967, fez a sua primeira apresentação num musical, em “A Úlcera de Ouro”.
Em 1969, conquistou grande sucesso no drama “Fala Baixo Senão Eu Grito”, primeira peça teatral da dramaturga Leilah Assumpção. Pela interpretação da complexa personagem Mariazinha, solteirona virgem que vive num pensionato de freiras, Marília recebeu o Prémio Molière e também o Prémio da Associação Paulista de Críticos Teatrais.
Em 1974, venceu Elis Regina num casting para o musical “Como Vencer na Vida sem Fazer Força”. Logo depois, em 1975, gravou o LP “Feiticeira”, lançado pela Som Livre.
Marília é a actriz que mais actuou sozinha nos palcos, conseguindo atrair o público infantil para a difícil arte do monólogo. Além de Carmen Miranda, desempenhou nos ecrãs e nos palcos papéis de mulheres célebres, como Maria Callas, Dalva de Oliveira, Coco Chanel e a ex-primeira dama do Brasil Sarah Kubitschek. A estreia como directora aconteceu em 1978, na peça “A Menina e o Vento” de Maria Clara Machado.
Nos anos 1960, chegou a ser presa durante a apresentação da peça “Roda Viva” (1968) de Chico Buarque. Foi detida uma segunda vez, visto que era tida como comunista, quando a polícia invadiu a sua residência, assustando todos, incluindo o filho de sete anos, que dormia.
Em 1992, apresentou o musical “Elas por Elas”, para a TV Globo. Em 2008, foi protagonista da longa-metragem “Polaróides Urbanas” de Miguel Falabella, onde interpretou duas irmãs gémeas.
Desde Abril de 2010, integrou o elenco da série “A Vida Alheia” de Miguel Falabella, na Rede Globo. Em Janeiro de 2013, ocorreu a estreia da série “Pé na Cova”, em que Marília Pêra interpretou Darlene, maquilhadora de uma casa funerária. Em Abril de 2014, em virtude de problemas pessoais, interrompeu a série, só retornando as gravações em Junho.
No Carnaval de 2015, Marília foi homenageada pela Escola de Samba Mocidade Alegre de São Paulo. Em Agosto do mesmo ano, voltou a ser homenageada, desta feita no Festival de Cinema de Gramado, onde recebeu o prestigiado Troféu Oscarito.
Marília Pêra casou-se pela primeira vez aos dezassete anos, com o músico Paulo Graça Mello, falecido num acidente de automóvel em 1969. Aos dezoito, foi mãe do também actor Ricardo Graça Mello. Mais tarde, foi casada com o actor Paulo Villaça, seu parceiro em “Fala Baixo Senão Eu Grito”, e com Nelson Motta, com quem teve duas filhas. Era casada, desde 1998, com o economista carioca Bruno Faria.
Faleceu no seu apartamento em Ipanema, no Rio de Janeiro. Nos seus últimos meses de vida, lutou contra um cancro pulmonar. O corpo da actriz foi sepultado, no meio de grande emoção e com muitos aplausos, no Cemitério de São João Batista no Rio de Janeiro.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...