quarta-feira, 4 de setembro de 2013

4 DE SETEMBRO - JOSÉ LUÍS PEIXOTO


 
EFEMÉRIDEJosé Luís Peixoto, romancista, poeta e dramaturgo português, nasceu em Galveias, Ponte de Sor, no dia 4 de Setembro de 1974. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (inglês e alemão) pela Universidade Nova de Lisboa, foi jornalista, crítico literário e professor na cidade da Praia (Cabo Verde) e em várias cidades portuguesas, antes de se dedicar profissionalmente à escrita no ano 2000.
A sua obra encontra-se alicerçada no género romanesco, mas tem publicado livros de poesia, teatro e prosa em diversos géneros. Recebeu o Prémio Jovens Criadores (área de Literatura) nos anos de 1997, 1998 e 2000. Em 2001, o seu romance “Nenhum Olhar” recebeu o Prémio Literário José Saramago.
Está representado em diversas antologias de prosa e de poesia nacionais e estrangeiras. Em 2001, publicou “A Criança em Ruínas”, o seu primeiro livro de poesia. Com edições sucessivas, depressa atingiu os 15 mil exemplares vendidos, número raramente atingido por um primeiro livro de poesia.
É colaborador de diversas publicações nacionais e estrangeiras (“Time Out”, “Jornal de Letras”, “Visão”…). Em 2005, escreveu as peças de teatro “Anathema” (estreada no Théâtre de la Bastille, em Paris) e “À Manhã” (estreada no Teatro São Luiz, em Lisboa).
Em 2006, publicou o romance “Cemitério de Pianos”. No ano seguinte, em Saragoça, este livro ganhou o Prémio Cálamo – Otra Mirada, atribuído ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha em 2007.
Ainda em 2007, estreou a peça ”Quando o Inverno Chegar”, no Teatro São Luiz, em Lisboa. A sua obra “Nenhum Olhar” (publicada em Inglaterra sob o título “Blank Gaze”) fez parte da lista dos melhores livros publicados na Grã-Bretanha em 2007 do “Financial Times”.
Os seus romances estão editados em França, Itália, Bulgária, Turquia, Finlândia, Holanda, Espanha, República Checa, Roménia, Croácia, Bielorrússia, Polónia, Brasil, Grécia, Reino Unido, Estados Unidos, Hungria, Israel, etc., estando traduzidos num total de 20 idiomas e sendo distribuídos em mais de 60 países.
Em 2008, após a edição de “Nenhum Olhar” nos Estados Unidos (sob o título “The Implacable Order of Things”), este romance foi integrado na selecção semestral “Discover Great New Writers” das livrarias Barnes & Noble, sendo o único romance em língua estrangeira a fazer parte dessa lista, o que lhe facultou uma exposição excepcional na maior cadeia de livrarias dos Estados Unidos e do mundo. O seu livro de poesia “Gaveta de Papéis” recebeu o Prémio de Poesia Daniel Faria (2008).
Cemitério de Pianos” foi, em 2009, um dos 10 finalistas do Prémio Portugal Telecom de Literatura. O Município de Ponte de Sor criou um prémio literário com o nome de José Luís Peixoto, para jovens autores. Os livros “Morreste-me” e “Gaveta de Papéis” foram publicados em braille. Em 2010, participou no Festival Passeurs de monde(s) em Poitiers (França). Em 2011, “Nenhum Olhar” foi publicado também em escrita para invisuais.
Os seus livros têm tido referências críticas elogiosas em publicações internacionais de referência como, entre outras, “The Guardian”, “Esquire”, “San Francisco Chronicle”, “El País”, “ABC”, “Le Fígaro”, “Le Monde”, “Corriere de la Sera”, “L'Unità” e “Folha de São Paulo”.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...