quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

16 DE JANEIRO - KATE MOSS



EFEMÉRIDEKate Moss, de seu verdadeiro nome Katherine Ann Moss, supermodelo britânica, capa da revista “Vogue” mais de 30 vezes, nasceu em Londres no dia 16 de Janeiro de 1974. Segundo a revista “Forbes”, ela foi – em 2006 – a 2ª modelo mais bem paga do mundo, com ganhos estimados em 9 milhões de dólares.
Estudou na Ridgeway Primary School e na Riddlesdowne High School, nunca se revelando grande aluna, mas sendo muito boa em desporto. Kate Moss foi descoberta, aos 14 anos, pela agente Sarah Doukas, no Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova Iorque, depois de uma viagem que ela acabara de fazer às Bahamas na companhia do pai.
A carreira de Moss começou praticamente quando Corinne Day a fotografou, a preto e branco, para a revista britânica “The Face’”. Tinha ela 15 anos. Desfilou depois para os estilistas John Galliano, Yves Saint Laurent, Versace e Calvin Klein.
Transformou-se numa anti-modelo dos anos 1990, comparada às supermodelos de sucesso da época, como Cindy Crawford, Claudia Schiffer e Naomi Campbell, que eram conhecidas por serem altas e terem corpos curvilíneos, ao contrário de Moss, que era relativamente baixa e com peitos pequenos. Ficou na 8ª posição na eleição da revista “Celebrity Sleuths” das 25 Mulheres Mais Sexys do Mundo em 2004, 8ª na eleição da revista “Maxims” das 50 Mulheres Mais Sexys de 1999 e 22ª na eleição da revista “FHM” das 100 Mulheres Mais Sexys de 1995. A revista masculina “Arena” nomeou-a como a modelo mais sexy na sua 150ª edição e foi colocada na 2ª posição na lista das 20 Modelos Ícones, publicada no site Models.com.
Tablóides ingleses, particularmente o “The Daily Mirror”, várias vezes noticiaram que Kate Moss costumava consumir cocaína. Em entrevistas, Moss dissera sempre que essas afirmações eram ridículas. Em Setembro de 2005, aquele jornal publicou na capa e no interior fotos que mostravam Moss a cheirar cocaína. Pete Doherty, namorado de Moss, cantor e compositor da banda The Libertines, alegou que James Mullord, o seu empresário, vendera as fotos para o jornal por mais de cento e cinquenta mil euros. Pouco tempo depois da publicação das fotos, Moss começou a perder a maioria dos contratos.
Em 20 de Setembro de 2005, a empresa sueca H&M anunciou que ia desvincular-se de Kate Moss. De acordo com o contrato, a modelo ganhava – só ali – cerca de 4 milhões de euros por ano. Um dia depois, a Chanel anunciou também que não renovaria o contrato com Moss, que ia expirar em Outubro. Burberry decidiu igualmente parar uma campanha com ela.
Kate continuou a trabalhar para a Dior durante esse período. Na edição de Novembro de 2005 da “W”, ela apareceu na capa e em muitas páginas no interior da revista. Também foi defendida por amigos e admiradores, incluindo a modelo Naomi Campbell, a actriz francesa Catherine Deneuve, o seu ex-namorado Johnny Depp e o designer Alexander McQueen. A defesa de McQueen foi especialmente notável e, durante um show de moda, ele usou mesmo uma t-shirt, na qual estava escrito «Nós amamos-te, Kate».
Ainda em Novembro de 2005, Moss terminou a sua relação com Doherty, depois de ter sido bem sucedida no tratamento de desintoxicação que fez numa clínica. Moss tem aparecido em vários clipes musicais e tem trabalhado com diversos artistas e escultores. Ao longo da sua carreira já foi capa de mais de 300 revistas.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...