quinta-feira, 9 de abril de 2015

9 DE ABRIL - CARLOS QUINTAS

EFEMÉRIDECarlos Quintas, de seu verdadeiro nome Carlos Miguel da Quinta Martins, actor e cantor português, nasceu em Faro no dia 9 de Abril de 1951. Profissionalizou-se no teatro nos anos 1970, ao lado de Laura Alves. Seguiu a carreira de actor simultaneamente com a de cantor até 1987, passando depois a dedicar-se exclusivamente ao teatro.
Entrou em mais de 50 peças dos mais variados autores e estilos. Integrou o elenco base do Teatro Nacional D. Maria II, tendo saído para fazer teatro musical, género que lhe granjeou enorme popularidade, nomeadamente em “Godspell”, “A Severa”, “Amália”, “My Fair Lady”, “Música no Coração” e “West Side Story”.
Entre 1971 e 1975, participou em novelas e sitcoms para a televisão. Interpretou o papel de Armando del Carlo no musical “A Gaiola das Loucas" de Filipe La Féria, no Teatro Rivoli no Porto é no Teatro Politeama em Lisboa.
Como profissional da música e do teatro, integrou o elenco do Teatro Avenida em Luanda (com a Companhia de Vasco Morgado), participando em várias peças. Venceu por duas vezes o Festival da Canção de Luanda, ganhando também um Prémio de Interpretação.
Entre 1975 e 1979, entrou em diversas peças, contracenando com grandes actores e sendo dirigido por directores como Varela Silva, Francisco Ribeiro, Gracindo Jr e Paulo Renato.
Foi autor da letra da canção “Dai-li-dou”, interpretada pelos Gemini, que venceu o Festival RTP da Canção de 1978. Atingiu o Top nacional, através de um single com versões pop de “Vocês Sabem Lá” e “Degrau em Degrau”. Em 1979, gravou uma versão de “Olhos Castanhos”.
No Teatro Nacional D. Maria II, fez – entre muitas outras peças – “Felizmente Há Luar” de Luís Sttau Monteiro, “As Alegres Comadres de Windsor” de Shakespeare e “Os Filhos do Sol” de Máximo Gorki. Depôs de deixar o Teatro Nacional, fez “A Invasão” sob a direcção de Nicolau Breyner. Participou também numa digressão pela América Latina. Gravou vários discos para a editora Valentim de Carvalho. Fez parte dos elencos do musical “Annie” e das revistas “Sem Rei Nem Rock”, “O Bem Tramado” e "Aqui Há Fantasmas".
Para a RTP, gravou a série “7º Direito”. Participou também, juntamente com Bibi Ferreira, na peça “Piaf”, representada no Teatro do Casino do Estoril. Actuou depois em “3 em Lua-de-Mel”, peça que esteve em cena no Teatro Experimental de Cascais.
Ganhou o Prémio Melhor Voz do Ano de 1986, com a sua actuação na revista “Eles e Elas". Em 1987, decidiu abandonar a música e dedicar-se em exclusivo à representação.
Ao longo da década de 1990, seguiram-se várias peças, algumas para a televisão (RTP1), e musicais sobretudo de Filipe La Féria. Foi apresentador da eleição de Miss Portugal 1996 e de “40 Anos da RTP”, espectáculo realizado no Coliseu dos Recreios. Foi convidado de vários programas televisivos.
Quem Tem Boca Vai ao Roma”, espectáculo de variedades apresentado no Fórum Lisboa, antigo Cinema Roma, contou com a sua participação como autor, apresentador e cantor, juntamente com Simone de Oliveira.
Participou na telenovela “Os Lobos” de Francisco Nicholson, para a RTP, e no programa de variedades “Lado a Lado com Simone de Oliveira e Carlos Quintas”.
Entrou na telenovela “A Lenda da Garça” e participou nas séries “Uma Casa em Fanicos” (RTP1) e “Médico de Família” (SIC). Em 1999, fez parte do musical “Amália”, apresentado no Casino do Funchal.
Já nos anos 2000, apresentou em Niterói, Brasil, para a TV Cultura – em parceria com Simone de Oliveira e em comemoração dos quinhentos anos do Brasil – o espectáculo “Cantigas de Amar Portugal”, uma retrospectiva da música portuguesa, desde os anos 1950 até aos anos 90.
Participou no filme “Camarate” de Luís Filipe Rocha. Em 2005, encenou a peça “Marlene” para celebrar os seus 30 anos de carreira. No ano seguinte, participou no espectáculo de inauguração da nova versão da Praça de Touros do Campo Pequeno.
Em 2007, encenou e dirigiu o espectáculo “Zen ou o Sexo em Paz” para o Teatro Bar da Trindade. Em 2008, entrou em “Num País chamado Simone”, espectáculo comemorativo dos 50 anos da carreira de Simone de Oliveira.
No Verão de 2010, participou na tournée de “A Gaiola das Loucas”, que se manteve em Portimão durante um mês. Em Outubro do mesmo ano, fez “Um Violino no Telhado”, que esteve em cena até Maio de 2011.
Em 2014, protagonizou a novela da TVIO beijo do escorpião” e, em 2015, a peça “O Mistério do Fado”, representada no Cinema S. Jorge e no Teatro Villaret, ambos em Lisboa.  

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...