sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

20 DE DEZEMBRO - PEDRO ABRUNHOSA



EFEMÉRIDEPedro Machado Abrunhosa, cantor e compositor português, nasceu no Porto em 20 de Dezembro de 1960, iniciando cedo os seus estudos musicais. Terminou o Curso de Composição no Conservatório de Música do Porto, após o que estudou e trabalhou com os professores Álvaro Salazar e Jorge Peixinho. Fez o Curso de Pedagogia Musical com Jos Wuytack. Aos dezasseis anos, já dava aulas na Escola de Música do Porto. Pouco depois, ensinava igualmente no ensino oficial, na Escola do Hot Clube, em Lisboa, e na Escola de Música Caiús. Desenvolveu estudos de contrabaixo e fundou a Escola de Jazz do Porto.
Foi convidado a juntar-se ao grupo de música contemporânea de Madrid do compositor Enrico Macias, com o qual fez alguns espectáculos em Espanha e em Portugal. Quando começou a tocar jazz, foi já como profissional.
Em Abril de 1994, foi editado o álbum “Viagens”, gravado conjuntamente com o grupo “Bandemónio”. O disco constituiu um enorme sucesso, atingindo a tripla platina. Fez mais de duzentos espectáculos em apenas dois anos. Apresentou-se nos Estados Unidos, Canadá, Brasil, Macau, França, Suíça, Espanha, Luxemburgo e Itália, entre outros países.
Compôs a música “Se Eu Fosse Um dia o Teu Olhar” para a banda sonora do filme “Adão e Eva” de Joaquim Leitão, que bateu todos os recordes de bilheteira.
Em Novembro de 1996, editou “Tempo”, então com uma nova formação dos “Bandemónio”. Este CD vendeu acima das 180 000 unidades, ultrapassando a marca de quádrupla platina. Para este álbum, trabalhou em Minneapolis, Memphis e Nova Iorque com a banda de Prince, os “New Power Generation”, e Tom Tucker, o seu engenheiro principal. Participaram ainda Carlos do Carmo, “Opus Ensemble” e Rui Veloso. Foi publicado posteriormente o disco “Tempo – Versões e Remixes”.
Escreveu, compôs e produziu o musical “Rapaz de Papel”, encomendado pelo Festival dos Cem Dias.
Foi convidado por Caetano Veloso para realizar um espectáculo conjunto na Expo 98 em Lisboa. O realizador Manoel de Oliveira convidou-o também para protagonista masculino do filme “A Carta”, rodado em Paris, Itália, Nova Iorque, Lisboa e Londres. Contracenou com Chiara Mastroianni. Este filme foi laureado no Festival de Cinema de Cannes com o Grande Prémio do Júri.
Canções suas foram gravadas e interpretadas no Brasil por artistas como Caetano Veloso, Lenine, Zélia Duncan, Elba Ramalho, Zeca Baleiro, etc..
Em 1999, editou “Silêncio”, um disco de viragem extremamente importante para a carreira dos “Bandemónio”, mas que ficou aquém das vendas dos dois discos anteriores. Em 2002, gravou “Momento”, um êxito de vendas, que foi tocado em todas as rádios nacionais. Atingiu a dupla platina, com vendas superiores a 90 000 discos. Durante muito tempo, a canção “Momento (Uma Espécie de Céu)” foi a mais tocada em Portugal.
Em 2003, editou o triplo álbum “Palco”, resultado dos emblemáticos concertos ao vivo com os “Bandemónio” e os “HornHeads” de Prince. Atingiu 72 000 exemplares vendidos. Um dos discos incluiu duetos com Lenine e Zélia Duncan.
Em 2004, encerrou o Rock in Rio – Lisboa, concerto integrado na sua digressão 2002/2004, com mais de 120 espectáculos realizados.
Entretanto, fez palestras, debates e conferências por todo o país, sobretudo em faculdades, escolas e bibliotecas. Escreveu para a TSF, “Magazine Artes” e Fórum Estudante, tendo trabalhos publicados em diversos outros órgãos de imprensa. 
Em 2006, participou numa das músicas do álbum de estreia da banda portuguesa “Cindy Kat”. Editou ainda o livro “Canções”, que rapidamente esgotou. Continha partituras das suas mais conhecidas músicas.
Lançou, em Abril de 2007, “Quem me leva os meus fantasmas”, o primeiro single do novo álbum “Luz” que seria editado em Junho. O primeiro concerto de Pedro Abrunhosa e dos “Bandemónio”, após o lançamento deste álbum, teve lugar no espaço Paradise Garage em Lisboa, na noite de 26 de Junho de 2007.
Pedro Abrunhosa anunciou um novo álbum com as canções que tem vindo a apresentar ao vivo, agora separado dos “Bandemónio” e com a sua nova banda – os “Comité Caviar”.
Em Fevereiro de 2010, foi protagonista de uma aparatosa queda durante o programa “Ídolos” da SIC, quando se preparava para uma dupla actuação como convidado. Não sofreu porém quaisquer ferimentos graves e até reagiu com humor. O cantor portuense rapidamente se recompôs e interpretou os dois temas previstos.
Em Maio de 2010, foi apresentado o seu álbum “Longe”, na Casa da Música do Porto, ficando no 1º lugar do top de vendas.
Em 23 de Maio de 2010, apresentou-se num dueto, ao lado da cantora brasileira Ivete Sangalo, durante a Gala de entrega dos Globos de Ouro, promovida pela SIC, cantando uma canção da autoria do próprio Abrunhosa, chamada “Fazer o que ainda Não Foi Feito”.
Pedro Abrunhosa é um dos embaixadores da Associação Fonográfica Portuguesa no Combate à Pirataria na Internet.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...