sábado, 7 de dezembro de 2013

7 DE DEZEMBRO - JOSÉ DONOSO



EFEMÉRIDE José Donoso, jornalista, professor e escritor chileno, morreu em Santiago do Chile no dia 7 de Dezembro de 1996. Nascera na mesma cidade em 25 de Setembro de 1925.
Em 1957, enquanto vivia com uma família de pescadores, publicou o seu primeiro romance, “Coronación”, no qual realizou uma descrição magistral das classes abastadas de Santiago e da sua decadência. Em 1963, este livro foi publicado nos Estados Unidos.
Posteriormente, mudou-se para Espanha, onde residiu entre 1967 e 1981. Ali publicou “El obsceno pájaro de la noche” (1970), considerado um de seus melhores trabalhos e, certamente, o de maior inspiração e ambição literária. Em 1972, escreveu o ensaio “Historia personal del Boom” e, em 1973, as novelas “Tres novelitas burguesas”. Quando do golpe de Estado de Pinochet, em 1973, considerou-se auto-exilado em Espanha.
Em 1978, publicou “Casa de campo”, romance de crítica subtil à ditadura chilena, que obteve o Prémio da Crítica em 1979. O seu romance erótico “La misteriosa desaparición de la marquesita de Loria” (1979) demonstrou, para alguns, que não dominava com igual mestria todos os géneros literários. Não obstante, “El jardín de al lado” (1981) e “La desesperanza” (1986) recuperaram o brilho de um dos mais importantes autores chilenos. Em 1990, recebeu o Prémio Nacional de Literatura. 
Como jornalista, trabalhou na revista chilena “Ercilla” (1960/65) e colaborou com o magazine mexicano “Siempre”. Foi membro da Academia Chilena de la Lengua.
Em 2007, já após a sua morte, foi editado um seu romance inédito, “Largatija sin cola”, bem como uma biografia escrita pela sua filha, Pilar Donoso.
José Donoso é hoje considerado, a par de Gabriel García Marquez ou de Júlio Cortazar, um dos maiores escritores latino-americanos da segunda metade do século XX.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...