sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

6 DE DEZEMBRO - URBANO TAVARES RODRIGUES



EFEMÉRIDEUrbano Augusto Tavares Rodrigues, escritor e jornalista português, nasceu em Lisboa no dia 6 de Dezembro de 1923. Morreu na mesma cidade em 9 de Agosto de 2013.
Filho do também escritor Urbano Rodrigues, passou a infância em Moura, no Alentejo. Criado numa família de grandes proprietários agrícolas, recebeu as influências das gentes do campo, o que marcou indelevelmente a sua obra literária. Frequentou a Faculdade de Letras de Lisboa, onde se licenciou em Filologia Românica. Impedido de leccionar em Portugal pelo regime fascista, esteve em França entre 1949 e 1955, sendo leitor de Português nas Universidades de Montpellier, Aix e Paris. De volta a Lisboa, esteve preso por duas vezes (1963 e 1968). Depois do 25 de Abril de 1974, regressou definitivamente a Portugal. Dez anos mais tarde, doutorou-se em Literatura, com uma tese sobre a obra de Manuel Teixeira Gomes. Em 1993, jubilou-se como professor catedrático da Faculdade de Letras. Foi igualmente professor na Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Foi membro efectivo da Academia de Ciências de Lisboa e membro correspondente da Academia Brasileira de Letras.
Autor prolífico, ele foi um dos mais prestigiados escritores da segunda metade do século XX em Portugal. Escreveu também em diversas revistas e jornais, como: o “Bulletin des Études Portugaises”, a “Colóquio-Letras”, o “Jornal de Letras”, a “Vértice” e o “Nouvel Observateur”, entre outros. Foi director da revista “Europa” e crítico de teatro de “O Século” e do “Diário de Lisboa”.
Enquanto repórter, percorreu grande parte do mundo, tendo reunido os seus relatos de viagem nos volumes “Santiago de Compostela” (1949), “Jornadas no Oriente” (1956) e “Jornadas na Europa” (1958). No Cairo, em 1956, viveu a sua coroa de glória como jornalista, captando em crónicas – para o “Diário de Lisboa” – toda a complexidade da crise do Suez e das posições de Nasser.
Urbano afirmou que a sua obra foi influenciada, na década de 1950, pelo existencialismo francês, sobretudo de Sartre. Mais tarde, na sequência da sua detenção no forte de Caxias, durante o salazarismo, surgiu como autor de literatura de resistência, a que se seguiu um novo período, mais optimista, no pós-25 de Abril. Era simpatizante comunista.
Recebeu vários prémios literários, de que se salientam: o Prémio Ricardo Malheiros da Academia das Ciências de Lisboa, o Prémio da Associação Internacional de Críticos Literários, o Prémio da Imprensa Cultural, o Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores e o Grande Prémio de Conto “Camilo Castelo Branco”.
Em 6 de Agosto de 2013, foi internado no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, onde faleceu três dias depois. A causa da morte não foi divulgada. Estava a quatro meses de completar 90 anos de idade. Foi casado com a escritora Maria Judite de Carvalho, falecida em 1998, tendo uma filha também romancista e tradutora (Isabel Fraga, nascida em 1950).

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...