terça-feira, 24 de dezembro de 2013

24 DE DEZEMBRO - VALENTIM LOUREIRO



EFEMÉRIDEValentim dos Santos de Loureiro, militar, empresário, político e dirigente desportivo português, nasceu em Viseu no dia 24 de Dezembro de 1938.
Depois de ter feito o Curso Geral do Comércio na Escola Comercial e Industrial de Viseu, esteve matriculado no Instituto Comercial do Porto, acabando por ingressar na Academia Militar, onde completou o Curso Superior de Administração Militar em 1959. Como oficial do exército, fez duas comissões de serviço em Angola, onde – em 1965 – foi implicado no chamado “Caso das Batatas”. Afastado da vida militar entre 1967 e 1980, foi depois reintegrado, passando à situação de reserva, com a patente de major.
Dedicou-se à actividade empresarial, nos sectores do comércio, indústria e agricultura, distinguindo-se também como dirigente desportivo, tendo sido presidente da direcção do Boavista FC entre 1978 e 1997. É actualmente sócio de mérito e presidente honorário do clube. Foi igualmente presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional entre 1989 e 1994 e, novamente, de 1996 a 2006. Entre 1982 e 1999 foi cônsul da Guiné-Bissau no Porto.
Militante do Partido Social Democrata desde 1974, ajudou na implementação do partido no norte do país. Em 1986 e 1991, resolveu – no entanto – apoiar Mário Soares do Partido Socialista, nas duas candidaturas à presidência da República. Em 1993, assumiu um papel político mais activo, tendo sido eleito presidente da Câmara Municipal de Gondomar, renovando os mandatos em 1997 e 2001. Em 2005, na sequência do seu envolvimento no processo judicial “Apito Dourado”, o PSD recusou-lhe o apoio, invocando falta de credibilidade, mas Valentim Loureiro acabaria por renovar o mandato em 2005 e 2009, numa lista independente. Como presidente da Câmara, tinha à sua disposição um elevador exclusivo com ligação directa a um parque privativo, podendo assim entrar e sair sem ser incomodado. O elevador só subia até ao primeiro andar, onde ficava o gabinete da presidência, depois de introduzido um código secreto. No parque de estacionamento, só cabiam dois carros, o de Valentim Loureiro e o da filha.
No âmbito do caso “Apito Dourado”, foi condenado a quatro anos de pena suspensa, em Julho de 2008. Valentim Loureiro exerceu ainda a presidência da Junta Metropolitana do Porto, entre 2001 e 2005, e do Conselho de Administração do Metro do Porto.
Foi agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Mérito por Mário Soares, em Setembro de 1989, e condecorado com a Medalha de Mérito Desportivo por Cavaco Silva, em 1990.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...