quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

26 DE DEZEMBRO - CHARLES PATHÉ



EFEMÉRIDE Charles Pathé, industrial francês e produtor de películas para cinema, nasceu em Chevry-Cossigny (Seine-et-Marne) no dia 26 de Dezembro de 1863. Morreu em Monte-Carlo, em 25 de Dezembro de 1957.  
Os pais, alsacianos, foram proprietários de um talho/charcutaria, primeiro em Chevry-Cossigny e depois em Vincennes. Charles tinha três irmãos e duas irmãs. Deixou definitivamente a escola aos catorze anos, passando a ocupar muitas horas por dia para aprender o ofício de talhante num estabelecimento em Paris.
Em 1889, com 25 anos, começou a trabalhar como talhante ambulante, mas a vida que levava em casa dos pais não era do seu agrado. Reuniu algumas economias e, com a ajuda dos irmãos, decidiu partir para a Argentina com o intuito de se tornar empresário.
Tentou estabelecer-se com pequenas indústrias de diversos ramos. Aventurou-se mesmo na lavagem de roupas, baseada em máquinas de lavar industriais. Foram, no entanto, falhanços sucessivos, não conseguindo fixar-se em qualquer actividade e mudando de área com muita frequência. O seu sócio da época e ele próprio apanharam entretanto febre-amarela. Conseguiu salvar-se, contrariamente ao seu associado que acabou por sucumbir.
Regressou a França ainda doente e, depois de um novo fracasso no comércio de papagaios, casou-se – quase com 30 anos – em Outubro de 1893. Empregou-se então num advogado parisiense, mediante um modesto salário.
A reviravolta na sua vida e o verdadeiro início da sua carreira de industrial aconteceria em Agosto de 1894, quando descobriu o fonógrafo Edison na Feira de Vincennes, a actual Feira do Trono. Interessou-se de imediato por aquele aparelho e comprou um exemplar com o qual começou a fazer demonstrações em feiras. Depois, em Londres, descobriu também o kinétoscope, outro aparelho inventado por Thomas Edison. Alargou então a sua actividade ao comércio de projectores e de filmes, sendo também o criador dos primeiros jornais de actualidades cinematográficos. Em 1896, fundou a sociedade Pathé Frères e, com o seu irmão Émile, lançou-se igualmente na industrialização da gravação de som.
Charles compreendeu que o aluguer de filmes era uma actividade bem mais lucrativa que a sua venda. Associou-se então com alguns investidores, para aumentar o capital da empresa. Em Dezembro de 1897, os novos capitais permitiram-lhe dar novo impulso à sociedade Pathé Frères. Todos os sectores foram explorados, desde a produção, os laboratórios e a difusão, até à exploração de filmes. De 1902 a 1904, foram abertas diversas sucursais na Europa e nos Estados Unidos. A produção de filmes passou de setenta em 1901 para quinhentos em 1903. A sociedade criou em 1905 o logótipo do “galo gaulês”, que ficará até aos nossos dias como o símbolo da empresa.
C. Pathé especializou-se depois na produção e realização de filmes. Em 1905, a sociedade empregava já muito pessoal especializado (cenaristas, decoradores, operadores de câmara, realizadores, etc.).
Construiu assim um império cinematográfico, que consistia em produzir controladamente filmes por intermédio das suas agências. Para este fim, Charles Pathé criou numerosos estúdios na Europa e nos Estados Unidos, tornando-se a primeira empresa a explorar a produção cinematográfica à escala industrial e mundial.
A partir de 1926, partilhou com a Kodak o monopólio do fabrico de películas virgens para o cinema. Em 1929, retirou-se no Mónaco, onde acabou por falecer no dia de Natal de 1957, na véspera de completar 94 anos de idade.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...