quarta-feira, 15 de julho de 2015

15 DE JULHO - WILLIAM DIETERLE

EFEMÉRIDE – (Wilhelm) William Dieterle, actor e realizador alemão, naturalizado norte-americano, nasceu em Ludwigshafen (Alemanha) no dia 15 de Julho de 1893. Morreu em Ottobrunn, também na Alemanha, em 8 de Dezembro de 1972. O seu nome é muito lembrado pelas biografias que realizou para a Warner Bros, na década de 1930, entre as quais a de Louis Pasteur (1936) e a de Émile Zola (1937).
Sendo o mais novo de nove filhos de uma família pobre, teve de lutar desde muito cedo para sobreviver, começando a trabalhar aos 8 amos de idade. Iniciou a sua carreira de actor teatral na Alemanha e na Suíça, ainda na adolescência, até se juntar a Max Reinhardt em Berlim (1918). Desde o início da década de 1910, porém, já tinha aparecido em alguns filmes. A partir de 1923, passou a realizar as películas em que actuava, tendo feito então mais de uma dezena. Marlene Dietrich, na altura uma jovem muito em voga, teve papel de destaque em “Der Mensch am Wege”.
Em 1930, Hollywood chamou-o, inicialmente para realizar e actuar em versões alemãs de filmes norte-americanos, como “Moby Dick” ou “Dämon des Meeres”. Por esta época, assumiu a forma saxónica do seu nome, William, e subiu um degrau na hierarquia da Warner, ao juntar-se à equipa principal do estúdio. O primeiro dos seus filmes, já com este estatuto, foi o muito elogiado “The Last Flight”. Entre filmes de acção, dramas domésticos e dramas sociais, Dieterle foi escalado também para realizar uma série de biografias. Com uma delas, “The Life of Emile Zola”, foi nomeado para o Oscar de Melhor Realizador. Trabalhou, depois, na RKO Pictures, MGM e Paramount Pictures.
Depois da chegada ao poder de Hitler na Alemanha, apesar de não estar ameaçado, resolveu ficar nos Estados Unidos, obtendo a nacionalidade norte-americana em 1937.
Prosseguiu a sua brilhante carreira em Hollywood, conservando laços estreitos com a emigração alemã, nomeadamente com Bertolt Brecht e Max Reinhardt. Em 1938, realizou um dos raros filmes americanos sobre a Guerra de Espanha (“Blockade”). 
Mesmo não estando incluído na célebre “Lista Negra”, Dieterle foi perseguido pelo Macartismo, a partir de 1947, devido às suas ideias liberais. Teve o passaporte confiscado e passou a ter dificuldade em conseguir bons guiões para filmes. Com a carreira em decadência, veio para a Europa, onde filmou na Alemanha e na Itália.
Faleceu aos setenta e nove anos de idade. Na década de 1960, dirigiu ainda vários telefilmes na sua terra natal, onde regressara definitivamente em 1958. Deu por finalizada a sua carreira em 1968. Tem uma estrela de honra no Passeio da Fama em Los Angeles.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...